Inteligência Emocional – enfrentando as mudanças da vida

Tempo de leitura: 5 minutos

Você já deve ter ouvido esse termo muitas vezes nos últimos tempos, mas você sabe o que significa Inteligência Emocional?

 

Na escola aprendemos muitas coisas: português, matemática, história, geografia, física… inúmeros conhecimentos que muitas vezes nem utilizamos ao longo da vida, porém,não nos é ensinado como lidar com as nossas próprias emoções.

 

Inteligência emocional é a capacidade de lidar com as próprias emoções e utilizá-las a seu favor, de maneira madura. Acredito que essa deveria ser uma matéria obrigatória durante nossa formação como indivíduos, porém, como muitas vezes a família e a escola não nos ensinam como lidar com as nossas próprias emoções, temos agora a oportunidade de aprender.

 

Deixando de ser uma criança no campo das emoções

Qual é a diferença básica entre uma criança e um adulto, na forma de lidar com as suas emoções? Imagine uma criança que passa em frente a uma prateleira de supermercado, e diz à mãe que quer um chocolate. A mãe diz que não vai comprar chocolates naquele dia, a criança então abre um berreiro e começa a fazer o maior escândalo no mercado.

Agora imagine um adulto na mesma situação, ele olha para a prateleira, deseja aquele chocolate,mas se lembra que está de dieta e que não pode comer aquele doce, então, ele simplesmente aceita o fato e continua fazendo suas compras.

 

Ter inteligência emocional pode ser comparado a deixar de ser essa criancinha no supermercado da vida, para finalmente se tornar um adulto. Por meio de seus processos cognitivos-comportamentais e pela compreensão do mundo ao seu redor, o adulto entende que seus desejos e sentimentos não são os únicos fatores que devem ser levados em consideração ao tomar uma decisão, já a criança é fortemente influenciada pelo ambiente e pelos seus sentimentos, e por isso acaba sofrendo em demasia com situações banais. Conforme o tempo passa, ela vai ganhando maturidade e aprendendo a lidar melhor com seus sentimentos e principalmente a aceitar os reveses da vida . É exatamente isso que precisamos fazer.

 

Inteligência Emocional x QI (Quociente de Inteligência)

Não é raro nos depararmos com pessoas que têm grande inteligência acadêmica, e pouquíssima inteligência emocional. São pessoas que manipulam muito bem diversos tipos de informação, têm boa memória, guardam datas, fatos e fórmulas, se sobressaem em tarefas técnicas em seus trabalhos, porém, desabam ao primeiro sinal de contrariedade. São funcionários-modelo que não conseguem ter um bom relacionamento com seus superiores, ótimos estudantes que não conseguem ingressar no mercado de trabalho e construir uma carreira, simplesmente pelo fato de não conseguirem lidar com as dificuldades. Geralmente essas pessoas não aprenderam a ouvir NÃO durante a infância, e tem uma enorme dificuldade em compreender que o mundo não funciona da forma como elas gostariam.

 

Portanto, nem sempre ter um alto nível de inteligência é garantia de um futuro brilhante, muitas vezes um profissional com menos conhecimento técnico e mais inteligência emocional, consegue galgar posições muito melhores e construir uma carreira muito mais sólida do que um profissional extremamente técnico, porém sem uma inteligência emocional desenvolvida.

 

Enfrentando as mudanças da vida

Se tivéssemos que comparar as nossas vidas àquela prateleira de supermercado, diríamos que na maioria das vezes podemos ou não podemos abocanhar aquele chocolate? Na maioria das vezes não.

 

Na vida, enfrentamos muito mais contrariedades do que gostaríamos, as situações se transformam independente da nossa vontade, e precisamos ser inteligentes o suficiente para passar por aquela fase de maneira saudável, com o menor dano possível ao nosso mundo emocional. São poucas as vezes na vida em que ouvimos SIM, comparadas às vezes em que ouvimos NÃO, ou NÃO AGORA. Por isso, desenvolver a nossa inteligência emocional é fazer com que aquela criancinha pare de chorar todos os dias diante daquela prateleira e aprenda a lidar com a vida da forma como ela se apresenta.

 

É também ensinar aquela criança a criar estratégias para obter aquilo que deseja no momento certo, sem desespero ou desgaste desnecessário de energia. Desenvolver a inteligência emocional é amadurecer, aprender a agir com estratégia, paciência e empatia.

 

Autoconhecimento e Gestão das Emoções

Não existe inteligência emocional sem um minucioso trabalho de autoconhecimento. Qual é hoje o seu calcanhar de aquiles das emoções? Que tipo de situações têm hoje o poder de te tirar do sério e de te deixar esperneando em frente à prateleira do supermercado? Por que esse tipo de situação te deixa nesse estado?

 

Você pode começar listando as situações que mais te incomodam e investigar, em sua história de vida,por que isso acontece com você. Com o tempo, ficará muito mais fácil saber o que te incomoda, o por que, e principalmente como manejar a situação no momento em que ela se apresentar.

 

Para aprender a gerenciar as suas emoções de maneira muito mais eficaz, conte com o Método 3Ms, fique por dentro da nossa programação de palestras,imersões e treinamentos para alta performance.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *