Saiba se o seu nível de ansiedade é normal

Tempo de leitura: 4 minutos

Às vezes você se sente a ponto de explodir?

 

Em muitas situações de nossas vidas podemos sentir um elevado nível de stress e ansiedade, mas com qual frequência isso acontece com você?

A ansiedade em níveis muito altos pode até mesmo se transformar em doença, são os chamados transtornos de ansiedade. Segundo o Hospital Israelita Albert Einstein: “Os transtornos de ansiedade são caracterizados por sentimentos de preocupação, ansiedade ou medo, que são fortes o bastante para interferir nas atividades diárias.”

Portanto, sentir ansiedade antes de uma prova importante, uma entrevista de emprego ou uma viagem é perfeitamente normal: em situações como essas o corpo libera hormônios, que existem para nos deixar em estado de alerta e atentos aos acontecimentos ao nosso redor. O problema é quando a resposta do organismo passa a ser desproporcional ao evento, e começamos a ficar muito ansiosos por conta de qualquer trivialidade do dia a dia, como passar no mercado, cozinhar, estudar, trabalhar ou conversar com o outro.

 

Seu nível de ansiedade é normal ou está passando dos limites? Reflita, sinceramente, sobre as perguntas abaixo:

  • Sente-se tenso e preocupado a maior parte do tempo?
  • Considera-se uma pessoa nervosa?
  • Costuma sofrer por antecipação?
  • Tem pensamentos repetitivos, que não consegue parar?
  • Tem tido dificuldade de concentração?
  • Sente-se acelerado, mesmo em momentos considerados tranquilos?
  • Tem confusão mental?
  • Sente dificuldade para dormir?
  • Tem taquicardia, falta de ar ou outros sintomas físicos decorrentes de angústia, ansiedade e tristeza?
  • Vive irritado?
  • Tem desmarcado programas sociais, por se sentir desconfortável entre as pessoas?
  • Vive procrastinando tarefas, e não consegue executar aquilo a que se propõe?

Caso você tenha esses sintomas por mais de 6 meses, é hora de consultar um especialista. O profissional competente para diagnosticar transtornos de ansiedade é o psiquiatra, que juntamente com o psicólogo, pode propor ao paciente o tratamento mais adequado para melhorar sua qualidade de vida.  O diagnóstico precoce pode evitar que o transtorno de ansiedade em níveis iniciais se converta em quadros mais graves, como Síndrome do Pânico, Fobias Sociais ou Burnout.

 

Para reduzir a ansiedade, diariamente:

 

Evite o excesso de informações

Depois do surgimento do Google, podemos fazer qualquer pesquisa em questão de segundos, isso pode ser bom ou ruim, se pensarmos que muitas vezes somos expostos a informações totalmente irrelevantes. Se você já se pegou fazendo uma pesquisa sobre um tema totalmente insignificante, sabe do que eu estou falando. Portanto, lembre-se: menos é mais. Procure se ater às informações que são de fato importantes para a tarefa que está realizando, sem se perder em informações secundárias.

 

Faça pausas ao longo do dia

É importante ter pequenas pausas entre uma tarefa e outra, para relaxar a sua mente, e digo mais: pausas fora de ambientes virtuais. É aquele momento em que você se levanta da mesa para tomar um café ou caminhar um pouco, esses pequenos intervalos ajudam a liberar a tensão e diminuir os níveis de ansiedade a médio e longo prazo.

 

Não seja escravo das redes sociais

Sentir-se obrigado a estar por dentro de todas as novidades, responder todas as pessoas que te escrevem quase que instantaneamente e ainda postar todos os dias, é no mínimo estressante. Portanto, use as redes sociais e não deixe que elas usem você, estabeleça um limite saudável para seu uso e comunique família e amigos, para que respeitem o seu ritmo de uso dessas tecnologias. Estar constantemente conectado ao celular ou tablet também deixa seu pensamento acelerado e causa ansiedade, portanto, conscientize-se da importância de utilizar bem essas ferramentas de comunicação.

 

Gerencie o sofrimento antecipatório

Uma das grandes causas da ansiedade é a preocupação exagerada com o futuro. Quantos dos nossos medos realmente se materializam, e quantos acabam se mostrando apenas paranóias infundadas? Evite o “E se”, evite fazer mil conjecturas sobre como resolver um problema que ainda nem aconteceu, procure viver no presente e libere a sua mente para focar no aqui e agora.

 

Dedique algum tempo para cuidar de si mesmo

Por mais cheio de atividades que esteja seu dia, separe alguns momentos para tomar um banho quente, se auto massagear, ouvir uma música relaxante, sentir como está seu corpo e suas emoções. Tenha seu ritual diário de autocuidado e meditação, procurando cuidar do seu corpo e também da sua mente, esse simples hábito fará você sair do “modo robô” e se manter conectado com a sua própria essência.

Grande Abraço,

Lucas Calônego

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *